FACEBOOK

terça-feira, 28 de junho de 2016

As tempestades emocionais trazem algo novo


O que somos é determinado pelas 

tempestades que já vivemos. 

Nós tendemos a subestimar o aprendizado das experiências mais duras, sem pararmos para pensar na grande mudança positiva que elas podem causar em nossas vidas, e nos concentramos apenas nos aspectos negativos.
Sentimos falta de como éramos antes de termos passado por coisas desagradáveis, sem percebermos que é inevitável ter esse tipo de experiência na vida, das quais podemos sair derrotados ou fortalecidos.

Na verdade, são os momentos difíceis, as grandes decepções e os acontecimentos desagradáveis, que revelam a nossa verdadeira natureza e que nos levam a sermos fortes e resilientes. 
Coincidência ou não, às vezes essa tempestade pela qual você passou lhe trouxe de volta à vida. 
De forma paradoxal e sem que você estivesse à espera, depois de se recuperar de um ferimento e uma grande dor, você estará mais calmo do que nunca.

“A verdadeira dor, a que nos faz sofrer profundamente, às vezes torna sério e constante até um homem que não reflete; o espírito pobre se torna mais inteligente após uma dor.”
Fiódor Dostoiévski

As tempestades que nos transformam

Se a vida fosse calma e fácil, não seria vida. 
Se todas as pessoas do mundo fossem iguais e quisessem a mesma coisa, os relacionamentos humanos seriam vazios e não existiria motivação para lutar e superar. 
Mesmo imaginando uma sociedade cheia de justiça e igualdade, algo maravilhoso que todos ansiamos… continuaríamos a ter conflitos.

A instabilidade está na própria natureza que nos rodeia e na própria natureza dos seres humanos. 
Não saber tolerar a ambiguidade, a incerteza e o conflito é um composto natural para sofrer de distúrbios psicológicos. O mito da estabilidade não é nada mais que isso: um mito.

Se estivermos cientes deste fato, estaremos preparados e cientes de que podem ocorrer mudanças bruscas e acontecimentos. 
Preparados e cientes, nunca treinados… 
é aí que reside a beleza e a variabilidade dos seres humanos; na forma como se desenvolvem perante os acontecimentos bons ou ruins.


A metáfora do Kintsugi

Às vezes, quando passamos por uma situação ou época dolorosa, achamos que o mais conveniente é recolher nossos pedacinhos partidos da melhor maneira possível, acreditando que sempre teremos que esconder as nossas próprias cicatrizes.

Queremos a todo custo sair ilesos da dor pela qual acabamos de passar, e associamos o ato de virar a página e ser forte com o fato de não mostrar sinais de fraqueza. 
Ninguém pode intuir que um dia fomos fracos, que nosso coração foi partido em mil pedaços… 
isso pode transmitir a sensação da nossa fragilidade e de que podem nos machucar mais facilmente.

A cultura ocidental tem muito a aprender com o que as filosofias orientais nos ensinam nesse sentido: 
Não há motivo para ocultar a dor, não devemos associar a falta de dor com a conservação da auto estima. Ter passado por uma situação difícil e tê-la superado é um sinal de orgulho e de beleza.

Quando os japoneses reparam objetos quebrados, eles exaltam a zona danificada preenchendo as fissuras com ouro. Eles acreditam que quando um objeto sofre algum dano e tem uma história, ele se torna mais bonito.

A arte tradicional japonesa de reparar a cerâmica quebrada passando uma cola forte e logo depois polvilhando pó de ouro chama-se Kingtsugi. 
O resultado é que a cerâmica não só é reparada, como também fica mais forte do que a peça original.

Em vez de tentar esconder os defeitos e as fissuras, eles são acentuados e celebrados, já que agora foram convertidos na parte mais forte da peça. 
Kintsukuroi é o termo japonês que designa a arte de reparar com pó de ouro ou prata, entendendo que o objeto é o mais belo pode ter sido modificado.

A ideia é que quando algo valioso se quebra, 
uma ótima estratégia a seguir é não ocultar a sua fragilidade ou a sua imperfeição, e sim repará-la com algo que substitua o ouro: força, trabalho, virtude… 
A prova da imperfeição e da fragilidade, mas também da resiliência e da capacidade de se recuperar.



As grandes tempestades emocionais trazem algo novo
Não podemos saber o que uma tempestade emocional representa na nossa vida até sairmos completamente dela. Inclusive existem tempestades que aparecem repetidas vezes e que não desaparecem por completo até conseguirmos lidar com ela e encontrar um abrigo, assumindo que as nuvens de chuva terão a mesma proporção que os raios do sol.

Mais uma vez a natureza nos dá um verdadeiro ensinamento: nada é imutável e imperecível, não importa o quanto algo esteja calmo e bonito. 
As mudanças são a única regra que parece se cumprir sempre. Desde lá de cima até aqui em baixo.

“Quando a tempestade tiver passado, mal te lembrarás de ter conseguido atravessá-la, de ter conseguido sobreviver. Nem sequer terás a certeza de a tormenta ter realmente chegado ao fim. 
Mas uma coisa é certa. Quando saíres da tempestade já não serás a mesma pessoa. 
Só assim as tempestades fazem sentido.”
Haruki Murakami


Então, da próxima vez que vier uma tempestade, é normal que tenha medo… 
mas tente manter-se de cabeça erguida. 
Se você cair e se machucar, assuma essa dor não como uma atitude passiva ou masoquista, mas faça isso de forma consciente e seletiva.

São os pequenos detalhes que podem revelar muitas coisas sobre você que poderão ser úteis adiante. Talvez todas essas pequenas contusões tenham mostrado o que e quem está fazendo mal a você.

No final das contas, existem tempestades que são inevitáveis nessa vida. Então uma vez que estiver passando por uma, deixe-se molhar e talvez você sairá com as ideias mais claras. Ou diretamente com umas novas ideias que lhe devolvam à vida.

A mente é maravilhosa

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Viemos para nos aperfeiçoar e nos tornarmos pessoas melhores


Viemos para nos aperfeiçoar na “arte de viver” e nos tornarmos pessoas melhores.

Pelo menos uma parte da humanidade sente vontade (ou necessidade) de melhorar. 
Tornar-se uma pessoa melhor, mais amável, divertida. Ou responsável, organizada, focada, sonhadora. 
O motivo pode ser qualquer um, o fato é que todos temos algo para mudar e ansiamos por isso.

Mas, melhorar-se requer antes de tudo se conhecer e esse sim é um empreendimento longo, que exige paciência e muita coragem. Podemos começar aos poucos, identificando aquilo em nós que mais incomoda e tecer reflexões a respeito disso.

Não precisa se forçar a melhorar, culpar-se quando não conseguir e achar que é a pior pessoa do mundo quando perceber que continua cometendo os mesmos deslizes. O tal “amar a si mesmo” é fundamental porque é justamente nesses momentos que precisamos olhar para nós e ter
compaixão. Entender nossos erros, mas sem anulá-los. Compreender a nós mesmos tal qual fazemos com as pessoas que amamos.


Esses dias estive refletindo sobre o que é uma missão de vida. Acredito firmemente que não estamos neste mundo a toa. Viemos para nos aperfeiçoar na “arte de viver” e nos tornarmos pessoas melhores. 
Os acontecimentos nos levam a esse despertar, cedo ou tarde. Cada um no seu tempo, na sua conjuntura. Mas todos estamos aqui com propósitos.

E quando esse propósito começar a se tornar indispensável, os sinais começam a aparecer. 
Vem de dentro a urgência pelas mudanças. 
A gente pensa, às vezes, que é temporário, mas quando percebe não tem mais volta. 
É como o processo de metamorfose da lagarta. Quando entramos no casulo só há uma forma de sair dele: indo em frente e se transformando.

Todos que se identificam hoje com esse processo podem se sentir perdidos, fora de lugar e assustados. Quando o assunto é a“reforma íntima”
é muito fácil falar, mas a prática é extremamente delicado. 
Exige amor por si, renúncias, foco, fé em Deus (seja qual for o seu) e certeza da temporalidade das coisas.

Quando entramos em processo de transformação pessoal é importantíssimo saber que nada daquilo é permanente. Tudo vai passar. 
As dúvidas, o caos, o medo. E quando passar virão certezas, paz e mais amor.

Não faz muito tempo eu acreditei que meu propósito nessa vida envolvesse principalmente as outras pessoas. A gente sempre acha que se tornar uma pessoa melhor começa por fazer o bem aos outros, envolver-se em trabalhos voluntários e ser bonzinho com todo mundo. Nosso orgulho sempre quer ser o centro das atenções.

Mas pelo menos eu hoje acredito que meu verdadeiro propósito
 é pessoal. 
É comigo o acerto de contas. 
Os reparos serão feitos em mim e não no colega do lado. Os discursos bem preparados são para mim e não para uma plateia. 
A grande transformação virá e será vista talvez por quase ninguém, a não ser eu mesma.

Passamos tempo demais nessa vida alimentando nosso ego, acreditamos que somos “coisa demais“. Até mesmo nossa relação com a divindade é chula quando acreditamos que somos a voz de Deus para a vida do outro e não para a nossa. 
Hoje, o melhor que posso identificar nesses anos já vividos é essa descoberta: 
meu maior empreendimento é me conhecer. Não da boca para fora, mas de verdade.

Hoje sei que só serei feliz, terei plenitude e paz quando de posse do auto conhecimento for capaz de identificar meus pontos falhos e aí sim iniciar os reparos. É trabalho para a vida toda. 
Nunca estaremos terminados, já que somos obra-prima de Deus. Mas quanto mais avançarmos, mais estaremos livres do medo, que é grande rival do amor.

Lidiane Franquis

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Lei da Atração • Motivação Cuide bem de si mesmo. Alinhe-se com o fluxo do seu bem estar e deixe o resto com o Universo


43 Atitudes para Intensificar a Autoestima, Autoconfiança e o Bem Viver!

Hoje, venho trazer-lhes umas dicas que elaborei com muito carinho. ‘Conselhos’ que busco exercitar, hábitos os quais me proponho no meu dia a dia, visando o objetivo de dias melhores, mais energizados, progressivos em aprendizado e vivência e em estado de bem-estar.

Deixarei para vocês alguns pontos que julgo importantes a serem trabalhados por nós, nessa eterna construção nossa de cada dia, de seres harmoniosos e conectados com o mundo que nos cerca.

O assunto aborda a
auto estima que é o grande mecanismo de defesa da nossa saúde mental, o sistema imunológico da nossa integridade auto confiança que nos faz mais fortes e assertivos e o bem viver proporcionado por essas pequenas mudanças, importantíssimas para nós.

Nosso desempenho depende da nossa autoimagem e trabalhando esses pontos, alcançaremos progressos em todos os âmbitos. Um dia por vez, uma atitude por vez, um exercício após o outro, a comunhão com o nosso self e assim, fortalecidos estaremos.
Cuide bem de si mesmo: atitudes para a auto estima

1 – Mantenha uma boa postura. 

Mantenha-se altivo. Pessoas com andar cabisbaixo acumulam tensões e têm grande predisposição às depressões. Olhe nos olhos das pessoas quando for conversar. Pratique isso em seu dia a dia, pois é um hábito que fará uma grande diferença em sua vida.

2 – Mantenha sempre uma conversa saudável consigo, um diálogo interno; e, observando onde precisa melhorar, modifique-o da melhor forma, para o seu bem-estar. Seja amoroso e atencioso para com os seus sentimentos. Preste atenção em todos eles, não despreze nenhum sinal.

3 – Visualize intensamente os seus desejos. Invista nisso. Acredite que você pode conseguir o que quer, porque você pode. Acredite em você e veja-se lá onde você quer estar. Sinta-se lá. Deixe as imagens trazerem a você sentimentos de 
felicidade. Busque as boas sensações ao visualizar e agarre-se a elas para melhorar a qualidade das suas vibrações.

4 – Diga afirmações positivas, todos os dias, por diversas vezes ao dia. Elas são poderosas e suas repetições transformarão sua vida.

5 – Dedique 10 ou 15 minutos do seu dia, especialmente para usá-lo com você, não importa o que você faça, desde que esse momento seja só seu.

6 – 
Medite. O silêncio é a melhor forma de oração. Volte-se para o seu centro e escute sua voz interior. Acalme-se, aquiete o seu coração, permitindo-se apenas prestar atenção em sua respiração. Fique assim, nem que seja por alguns minutos, numa posição confortável, como melhor se sentir. 
Mais importante que as técnicas é a sua conexão com o seu eu.

7 – Ouça boa música! 

E por boa música, eu entendo, aquela que consegue te deixar em estado de contentamento, que eleva sua alma a uma condição de alegria, seja o estilo que for. 
 Música é sempre expressão do Divino!

8 – Aprenda a valorizar seus pontos fortes. 

Arrume-se. Enfeite-se. Vista o que lhe cai bem. Produza-se, mesmo para ficar em casa. É a você mesmo que você precisa agradar. Deixe que o espelho enfatize suas qualidades físicas, cuide-se! Esqueça os padrões de beleza impostos pela mídia. A sua beleza é única e ninguém é igual a você. Valorize isso.

9 – Mantenha o hábito de escrever seus pensamentos, manifeste desejos através da escrita… ou mesmo, grave-se falando, em áudio e/ou vídeo. Lendo-se e/ou olhando-se no vídeo, poderá analisar a si mesmo, entender-se mais. Não seja crítico, apenas aceite-se, compreenda-se, alinhe-se.

10 – Não se vitimize. Exalte-se sempre. Você é grandioso. Sinta-se como tal.



11 – Aprenda a ouvir. 

Demonstre interesse pelo outro. Ouvir é uma atitude de sabedoria e que nos possibilita um grande aprendizado.

12 – Não espere o melhor de ninguém, mas dê sempre o seu melhor.

13 – Valorize-se. 

Repita muitas vezes por dia o quanto você tem valor! Que isso possa tornar-se, realmente, um hábito.

14 – Não se pré(ocupe). 

Sofrer por antecipação é pura perda de tempo e energia. Tudo estará certo na hora certa.

15 – Aprenda a 
dizer não
O não que você diz, assertivamente aos outros, é o glorioso sim que você diz a si mesmo.

16 – Elimine a culpa e a necessidade de controle. Você Não Tem que ter controle de nada e a culpa é nociva, improdutiva, estacionária e paralisante. 

Aceite seus erros e busque sempre se superar. 
Não chore o leite derramado. Permita-se.

17 – Exercite o desapego. Ao falarmos em 
desapego, logo nos vem um sentimento de egoísmo, como se nos bastássemos e não precisássemos de ninguém, mas é exatamente o contrário. 
Ao desapegar-se, você oferece o seu melhor, sem necessidade de aprovação ou expectativa. 
Pense nisso. Trabalhe em cima disso.

18 – Não queira ter, apenas. 

Queira, antes, ser. Tudo o que você precisa está, antes de mais nada, dentro de você. O que vem de fora só complementa a felicidade que já lhe pertence. 
Se não ‘houver’ dentro, nada que houver fora fará sentido.

19 – Seja sempre honesto consigo mesmo. 

Pergunte-se sempre: 
Por que eu quero isso? 
Isso me fará bem? 
Por que estou fazendo isso? 
Por que estou agindo assim? 
Escute-se.

20 – Procure ser positivo e ver sempre o lado bom das coisas. 
Faça o jogo do contente. Aprecie. Elimine da sua vida as reclamações e murmurações. 
Seja grato. Quanto mais somos gratos, mais abundância, em todos os sentidos, chega até nós. 
Que o exercício da gratidão seja o primeiro do dia e o último antes de fechar os olhos!

21 – Leia. 
Informe-se. Veja bons filmes. Leia bons livros. Esteja interessante e interessado. Saia para caminhar. Alimente-se bem. 
Pratique algum esporte. Sorria, brinque, seja espontâneo. 
Sentir-se-á muito mais vivo, mais ativo e dinâmico e isso refletirá grandemente no seu bem-estar, na sua autoconfiança e auto estima!

22 – Aceite elogios. 

Aprenda a sorrir agradecido e dizer somente obrigado. Sinta-se merecedor. Você o é!

23 – Evite críticas, elogie! 

Não fale mal de ninguém. Lance a você mesmo esse desafio e supere-se. Abençoe as diferenças. Todo mundo tem algo bom e você irá gostar de exercitar descobrir pontos positivos nas pessoas, coisas, lugares, momentos. Isso te trará um exercício natural de apreciação constante e a apreciação nos remete à gratidão e nos deixa em excelente estado vibracional.

24 – Faça meditações de perdão. 

Cure suas mágoas. Liberte-se do que te faz mal. Liberte o outro. Perdoe aos outros. Perdoe-se, antes de tudo.

25 – Abrace mais seus amigos, parentes e amor. 

Diga-os o quanto os ama. Eles precisam ouvir isso de você. Necessitam saber. Cultive o calor dos laços.

26 – Se você já vive um relacionamento amoroso, procure elogiar e enfatizar as qualidades do ser amado. Não tente mudá-lo, aceite-o como ele é. 

Isso te trará confiança e transmitirá a ele o sentimento de que você o ama e o aceita e, acima de tudo, o respeita, como ele é. Se está sozinho, antes de deixar o amor entrar em sua vida, viva primeiro um caso de amor com você!

27 – Exercite a gentileza, em todos os níveis e extensões que essa palavra puder alcançar.

28 – Aprecie sua 
solitude
Quando somos nós nossa melhor companhia, estaremos bem em qualquer lugar e em que companhia for.

29 – Não tenha vergonha de pedir ajuda a alguém. Quem disse que você tem que ser forte todo o tempo? Abra seu coração a alguém que você confia, se achar necessário.

30 – Doe o que não lhe servir mais. 

Renove tudo a sua volta e permita o fluxo do Universo. Compartilhando, abrimos nossa vida para o novo entrar.

31 – Faça amizades novas, que tenham a ver com você, que te façam sentir bem. 

Conserve as amizades amorosas, valorize aqueles que nutrem e expressam afeto por você. Evite companhias negativas, excessivamente críticas ou que de alguma forma te roubem energiaEm primeiro lugar o seu bem-estar. Procure deixar sua alma leve e coração tranqüilo.

32 – Trace pequenas metas, a curto prazo, seja a leitura de um livro por mês, Pequenas vitórias nos fazem confiantes; inspiram e motivam-nos a traçar novas metas. E assim vamos abrindo os nossos caminhos.

33 – Não desperdice seus talentos. 

Tem algo que você sempre gosta e tem mais habilidade para fazer. Invista nisso. Pode vir a ser seu grande despertar, em todos os sentidos

34 – Tenha orgulho de 
ser você mesmo
Goste de ser quem você é! 
Ame amar a si mesmo e o mundo o amará e respeitará. Ame-se incondicionalmente.

35 – Inspire-se todos os dias. 

Mantenha sempre cheio o tanque do combustível da motivação. Tenha paixão pela vida! 
Saiba que você pode tudo. Queira!

36 – Assuma a responsabilidade por sua felicidade. Não há maior expressão de auto estima que essa! 

Seja protagonista da sua história e também o escritor do livro da sua vida!

37 – Dedique-se a uma causa. 

Nada melhor do que sentir-se útil.

38 . Aprenda algo todos os dias. 

Anote suas pequenas conquistas.

39 – Cuide da sua casa e dos seus pertences com amor. Faça tudo com muito amor.

40 – Viva um dia de cada vez. 

O hoje é o único dia que, de fato, nos pertence. 
O nosso maior presente.

41 – Busque sempre o seu crescimento e evolução. Espiritualidade é um ato do amor, vivo, em pleno movimento, ação e expansão. Transcenda-se.

42 – Alegre-se sempre com as alegrias alheias, como se elas fossem a sua própria felicidade. Queira o bem.

43 – Permita-se o sentimento de amor, em toda a sua plenitude, incondicional. Ame, a você, aos outros, ao mundo, sem pedir nada em troca. Seja muito, mas muito feliz, pois a vida é uma só!

Que possamos experimentar, ao menos um exercício desses por dia. Vamos nessa transformação interna, dia após dias, sem cessar,

Com todo o meu carinho, amor e gratidão,

O Deus que Habita minha alma, saúda e reverencia o Deus que faz morada em teu Ser.

Deborah Furtado

sábado, 18 de junho de 2016

O momento presente é o melhor remédio para suas emoções


Nós fomos condicionados a acreditar que a melhor solução para nossos problemas e dores emocionais são aquelas mais complexas e de preferência que precisam do apoio de um especialista e que seja bem cara.

Já tentamos várias terapias, ferramentas, “workshops” e métodos, que sempre nos trazem aquele grande bem-estar momentâneo. Voltamos para casa cheios de esperança de estarmos curados e logo depois das primeiras semanas, ao menor sinal de contrariedade, nos pegamos descompensados em nossas emoções novamente.

Passa algum tempo e o medo de que aquilo que não queremos que aconteça nos envolve e então fazemos muitos planos para nos proteger, recuando os sonhos, atrasando planos, recusando convites para arriscar.



Passa mais algum tempo e quando estamos mais distraídos, uma leve sensação de tristeza nos pega desprevenidos e quando vamos perceber, memórias de situações que nos machucaram estão navegando em nossos pensamentos sem terem sido convidadas e desses pensamentos, outros que parecem linxados vão chegando: aquela traição, as mentiras que sempre nos contaram, aquela vez que perdi o emprego, depois tudo o que perdi de material, aquela doença que surgiu porque eu estava muito deprimida... 
e por ai vai.
A conexão entre memórias infelizes é muito eficaz e nos deixa triste em poucos minutos, mesmo que nada daquilo esteja acontecendo naquele exato momento.

Quando não pegamos as rédeas da nossa cura emocional, ficamos reféns dos nossos pensamentos, que são os grandes responsáveis por fazerem surgir nossas emoções. 
Quando não treinamos e não trazemos essa prática para o dia-a-dia, qualquer fórmula externa terá tempo de validade muito curto.
Apoios externos são maravilhosos e fundamentais para nos ensinar e para nos tirar da inércia. Entretanto, só com a prática do auto domínio conseguimos nos tornar senhores do nosso corpo, mente e emoções.

E neste ponto, o melhor remédio é uma “fórmula caseira” e sem custo algum é a nossa capacidade de nos colocar no exato momento onde estivermos. Parece retórico, mas geralmente não estamos onde nos colocamos nosso corpo está aqui e nossa mente está lá no passado ou no futuro.

Temos uma incrível tendência de colocar nossa atenção no passado ou no futuro. Repara bem, desde que você se levantou até o momento em que está lendo esse texto, quantas vezes sua mente te colocou no futuro ou te devolveu ao passado?



Garanto que você que lê este texto agora me dirá que muitas vezes! Acontece pois é um mecanismo natural do cérebro, de recorrer às memórias para buscar aprendizado e também de fazer projeções para simular as melhores escolhas.

Então o que há de mal nisso? 
Mal nenhum desde que você controle esse fluxo e tire proveito dessas viagens no tempo, caso contrário o que acontece é:

1. Quando meus pensamentos navegam sem controle para o momento Futuro, tendo a me deixar projetar e imaginar as coisas que podem dar errado. E isso me gera Ansiedade e Medo. O cérebro funciona assim, me jogando para o que pode dar errado, para me proteger e me permitir fugir do perigo.

Por isso, ele projeta naturalmente imagens perigosas e eu preciso me esforçar tanto para visualizar algo positivo é para me manter viva. Entretanto, se eu não percebo esse mecanismo acontecer, me envolvo em pensamentos de tal forma que sinto como se eles fossem reais e em poucos minutos, meu corpo reage como se um leão estivesse aqui na minha frente olhos fixos, coração acelerado, punho cerrado, mãos geladas.

2. Quando meus pensamentos navegam sem controle para o Passado, corro o risco de “pescar” uma memória negativa. E isso me gera tristeza, vergonha, culpa ou raiva. Meu querido cérebro, essa adorável máquina de processar informações, funciona assim: registra o que deu errado e resgata essa memória com muita rapidez, para que eu aprenda rápido e não repita o erro.

Por isso, ele traz memórias negativas de forma tão natural e as memórias positivas eu preciso me esforçar para lembrar é para meu bem. Entretanto, se eu não percebo esse mecanismo acontecer, me envolvo nas memórias tristes e me perco em tudo o que já aconteceu de errado comigo em pouco tempo me sinto a pessoa mais infeliz e não merecedora das graças do Universo que já existiu.

Meu corpo nessa hora já se fechou, já me encolhi e vejo as lágrimas brotarem, quando na verdade nada daquilo está acontecendo e meu corpo está de frente para um mar lindo e um céu azul.

Não importa onde nosso corpo está, se nossa mente não estiver lá estaremos em risco de sofrimento. Por isso, o melhor lugar onde podemos nos colocar é dentro do nosso corpo, no exato minuto em que ele respira, sentindo o ar entrar e sair.
Quer se curar, quer se acalmar, quer sentir aquele bem-estar de nada te faltar?
Esteja onde seu corpo está. Li hoje mesmo um texto em que uma frase me marcou:  
“Deus está nos intervalos.
Alessandra Riscado

sexta-feira, 17 de junho de 2016

As armadilhas do ego – O Realizador

Você sente que nasceu para gerar resultado e que fazer as coisas acontecerem é seu maior dom. Você tem uma mente sagaz, vê a solução dos problemas como ninguém e tem a disposição de 10 pessoas para colocar a mão na massa. 

Você sabe de cor seus objetivos e não poupa esforços para conseguir o que planejou. 
Você sabe o que quer e como fazer para chegar lá. Você sabe liderar, não tem medo do desafio. 
Você ama ver seus resultados tangibilizados e a cada reconhecimento que recebe, acredita ainda mais na sua eficiência e eficácia.

Você é pragmático, voltado para o sucesso insuperável, motivado, focado, determinado e consciente da sua própria imagem.

Você funciona como um modelo vivo e arrasta muitos seguidores e admiradores, que tentam ser e realizar como você.

Você é a estrela no seu trabalho, é sempre demandado para as situações mais desafiadoras. Está sempre sendo premiado e condecorado de alguma forma.

Você não vê problemas em sacrificar sua vida pessoal em troca de ser bem-sucedido no trabalho. 
Você não se importa de trabalhar mais, ficar até mais tarde, se envolver no trabalho nos fins de semana afinal o que importa é vestir a camisa, ser comprometido e gerar resultados para seu negócio.

Você pensa e acredita que deve estar sempre realizando, produzindo. 
Você acredita que faz o seu melhor quando entrega resultados, quando faz o que poucos conseguiriam. Você sabe gerar resultados externos e mostrar para o mundo seu valor….

… mas, na verdade ainda não tem certeza do seu merecimento, e por isso busca tanto o reconhecimento! 
É um alívio receber um elogio, uma promoção, uma oportunidade de crescimento se sente validado pelo mundo.

Você custa a perceber que está cansado, pois se acostumou com o ritmo frenético do seu corpo. 
Seu corpo não tem ritmo, tem pressa coração acelerado, olhos atentos, pulsos cerrados, ombros contraídos, fala rápida, dificuldade de ouvir sem interromper, pouco sono, fome irregular, desconexão com suas necessidades mais internas.

Você não diz não, não recusa um trabalho, mais uma tarefa, umas horinhas a mais em frente ao computador. 
Você aceita mais desafios, acredita que suporta tudo. Você perde a memória, perde a familia, perde os momentos com seus filhos, perde o pôr do sol e perde a noção dos seus limites.

Você perde o futebol, perde a praia, perde a saúde. Você perde sua conexão com sua fé e com o sentido mais profundo da vida você se perde de si. 
Você abre os seus olhos um dia e percebe que toda sua luta para demonstrar sua força ao mundo, só fez tirar seu poder pessoal.

Você se esforça, você se gasta, você se sente esgotado e frustrado pela fraqueza que chegou “de repente”. Você se sente envergonhado de estar fraco, de ter sucumbido ao esgotamento físico e mental. 
Você se sente culpado por não poder mais resolver todos os problemas do mundo. 
Você se sente menos porque estafou todos os seus recursos, enquanto queria ser cada vez mais.

Você sofre hoje, porque acredita que seu valor existe somente na medida em que recebe um prêmio, um certificado, um elogio, um reconhecimento externo. Você sofre, porque depende da opinião do outro para descobrir quem você é.

Você sofre hoje, porque um dia começou a acreditar que precisava realizar coisas, ser o melhor na escola, nos jogos, nas festas, para receber amor, ser visto e ser aceito. 
Você sofre hoje, pois ainda criança, você descobriu que quanto melhor sua nota e sua medalha, mais se sentia pertencer ao seu grupo ou sua família.

Você sofre hoje, porque agora sua alma não precisa mais dessa prisão e está pedindo para sair. 
Você sofre hoje, porque acredita que não tem saída o mundo é cruel e você não vai mudar. 
Você acredita que você é “assim mesmo” e diz que precisa lutar. 
Você sofre porque cansou de só fazer e de não se permitir SER. 
Sua alma não quer mais buscar fora, mas você se esqueceu que tem uma escolha. 
Você sofre hoje porque se esqueceu quem 
você é de verdade!

Eu te convido a despertar, eu posso te contar tantas coisas e te chamar para muitas experiências: Posso te lembrar de como é bom relaxar 
e fluir na vida. 
Mostro a você como é belo ver o ritmo natural das coisas, presenciando o perfeito equilíbrio do universo, que tudo resolve no seu devido tempo.

Convido você a aprender a contemplar, a se encantar com os sons, com o sol, o luar. 
Convido você a acordar cedo só para ver seu filhos abrir os olhos e sorrir ao te ver de frente. 
Chamo você para dançar e se jogar no mar. 
Posso te contar tantas histórias de como é mágico acordar sem ter o que fazer e deixar o dia te surpreender.

Eu quero te chamar para dentro, para viajar dentro de ti e ver sua própria luz. 
Eu quero levar você para sua respiração, pro seu ritmo de despertar, para sentir seu coração, 
seu pelo arrepiar. 
Chamo você agora para vir se encontrar com sua fé e relembrar o verdadeiro sentido de estar aqui aprender a Ser!

Se eu pudesse gravar uma mensagem 
no seu coração seria:

Para, relaxa, seja … deixa, permita, silencia!

Alessandra Riscado

quarta-feira, 15 de junho de 2016

RECOMEÇAR


Não importa onde você parou, em que momento da vida você cansou, o que importa é que sempre é possível e necessário "Recomeçar".

Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo.
É renovar as esperanças na vida e o mais importante: acreditar em você de novo.

Sofreu muito nesse período?
Foi aprendizado.

Chorou muito?
Foi limpeza da alma.

Ficou com raiva das pessoas?
Foi para perdoá-las um dia.

Sentiu-se só por diversas vezes?
É por que fechaste a porta até para os outros.

Acreditou que tudo estava perdido?
Era o início da tua melhora.

Pois é!
Agora é hora de iniciar, de pensar na luz, de encontrar prazer nas coisas simples de novo.

Que tal um novo emprego?
Uma nova profissão?
Um corte de cabelo arrojado, diferente?
Um novo curso, ou aquele velho desejo de aprender a pintar, desenhar, dominar o computador, ou qualquer outra coisa?

Olha quanto desafio.
Quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te esperando.

Tá se sentindo sozinho?
Besteira!
Tem tanta gente que você afastou com o seu "período de isolamento", tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu para "chegar" perto de você.

Quando nos trancamos na tristeza nem nós mesmos nos suportamos.
Ficamos horríveis.
O mau humor vai comendo nosso fígado, até a boca ficar amarga.

Recomeçar!
Hoje é um bom dia para começar novos desafios.

Onde você quer chegar?
Ir alto.
Sonhe alto, queira o melhor do melhor, queira coisas boas para a vida. pensamentos assim trazem para nós aquilo que desejamos. Se pensarmos pequeno, coisas pequenas teremos.

Já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo melhor, o melhor vai se instalar na nossa vida.
E é hoje o dia da Faxina Mental.

Joga fora tudo que te prende ao passado, ao mundinho de coisas tristes, fotos, peças de roupa, papel de bala, ingressos de cinema, bilhetes de viagens, e toda aquela tranqueira que guardamos quando nos julgamos apaixonados.
Jogue tudo fora.
Mas, principalmente, esvazie seu coração.
Fique pronto para a vida, para um novo amor.

Lembre-se somos apaixonáveis, somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes.
Afinal de contas, nós somos o "Amor".

Paulo Roberto Gaefke

domingo, 12 de junho de 2016

Entenda o que te sufoca todos os dias e você não percebe.


Quando nos vemos em situações de dor é muito comum colocarmos a culpa em outras pessoas. 
Mas o que nem todo mundo sabe ou finge não saber é que podemos ser os próprios causadores de nossas dores através de um processo chamado auto obsessão.

A auto obsessão ocorre quando nós mesmos causamos nossos sofrimentos. E, mesmo que muitas pessoas atribuam suas dores a outros inclusive obsessores espirituais nem sempre é isso que acontece de fato. Entenda o que te sufoca e você não percebe

Sendo assim, separamos hoje alguns sinais de que você está se auto obsediando, ou seja, causando as situações que culminam em sofrimentos diversos .

Espero que, conhecendo-os, 
consiga identificá-los (se for seu caso) e refletir em como sair desse cárcere e se livrar desses comportamentos que nos encarceram a alma, tornando-nos verdadeiros prisioneiros espirituais.

1. Não perdoar o passado

A falta de perdão é uma das maiores prisões que impedem nosso crescimento espiritual. 
Nossas memórias armazenam tudo. 
Quando você menos espera se depara com uma etapa em que um espinho do passado de dor, abuso, depreciação e problemas de auto-estima passam a oprimi-lo. E você não o deixar ir. 
Continua revivendo os atos horríveis de dor em cada parte do seu ser.

O perdão não é para a outra pessoa. 
É para você se mover além das barras de confinamento solitário. Abra o portão de sua cela de prisão, perdoando sua parte nessa história e deixando de lado tudo o que a outra pessoa fez para você.

2. Não ser você mesmo

Pode não parecer, mas abrir mão de si mesmo, dos próprios sonhos, valores e vontades é acorrentar-se e ir para o corredor da morte. E trata-se de uma morte lenta, que aos poucos e durante anos vai tirando o sopro de vida das pessoas.

Infelizmente há muita gente sofrendo desse mal, com medo de viver a vida como deseja, acorrentados em padrões, modelos muitas vezes ultrapassados.

3. Não acreditar em coisa alguma

Todos somos livres para crer ou deixar de crer em Deus, nas pessoas e nas coisas. 
É um direito que nos é dado inclusive pelo próprio Deus. Mas, a falta de fé em algo traz um vazio inexplicável, inclusive para o incrédulo. 
Todos precisamos acreditar em alguma coisa. 
Em si, nos outros ou seja lá no que for.

Essa fé nos torna mais fortes, 
como disse Bruna Stamato no artigo 

“A Fé é um salto no escuro. Pule!
“Fé em qualquer coisa, em qualquer crença; 
Fé na vida. Fé em si mesmo! 
Pois a Fé é o nosso para-quedas! 
Sem ela, tudo se torna muito mais difícil e penoso. 
Se você tiver Fé numa imagem de algum santo, com certeza não será o papel que modificará a sua vida, será a energia depositada nele, que fará com que a fenomenal roda gigante da vida gire.” 
O importante é se alimentar dessa força que nos torna livre, capazes, poderosos.

4. Estar em relações doentias

Maior prisão que estar em relações destrutivas não há. E não se trata apenas de uma prisão espiritual, mas emocional também. Isso acontece principalmente nos relacionamentos amorosos quando um dos parceiros se vê totalmente submisso, sem identidade e dignidade.

5. Vícios de todos os tipos

O álcool, o cigarro, a pornografia, o jogo e tantos outros vícios são correntes que imobilizam diversas pessoas há muito tempo. 
Quem se detém nessas prisões perde o gosto pela vida, não se reconhecem como donos de si e vivem em função de satisfazer o “prazer” ilusório que esses vícios causam. São situações lamentáveis que roubam a vitalidade, deixando homens e mulheres amargurados, sem esperança, em verdadeiras prisões.

Como foi citado no texto, nenhum obsessor espiritual é o causador dessas dores e sim nós mesmos que muitas vezes nos permitimos passar por elas. 
São comportamentos mais que comuns, embora doentios. E para se libertar é necessário primeiro reconhecer-se em uma para então, conscientes, 
tomar as atitudes necessárias para 
libertar-se do que te sufoca.

Escritora Lidiane Franqui