FACEBOOK

domingo, 16 de outubro de 2016

Eu quero mudar, mas é difícil


Muitas pessoas dizem querer mudar, mas é só da boca para fora. Algumas se satisfazem em pensar e falar que “todo o mundo tem defeitos; eu também tenho os meus” como se isso as desobrigassem de batalhar para deixar de tê-los. 
💈💈💈
A verdade é que as mudanças exigem grande determinação e disciplina, além de que o usual é que a pessoa tenha que passar por um período de privações ou de algum tipo de sofrimento e renúncia.
💅💅💅
Os que desenvolveram certas fobias, medos irracionais que os impedem de andar em elevadores, aviões, transitar por estradas lotadas sem saídas colaterais, ir a eventos públicos onde há muita gente etc. certamente desejam se livrar delas. 
🌂🌂🌂
O entendimento das razões que os levaram a desenvolver esses medos não será suficiente para que se livrem deles: terão que enfrentá-los! 
Terão que passar pela difícil experiência de vivenciá-los, condição em que serão capazes de perceber que suas forças são maiores que os medos. 
🚉🚉🚉
Isso aumenta muito a auto estima daqueles que aceitam se submeter a esse sofrimento, de modo que costumam ocorrer vários outros avanços e benefícios pessoais derivados da vivência bem sucedida.
🚥🚥🚥
Muitas compulsões e vícios são difíceis de serem abandonados, uma vez que produzem importantes ganhos. No caso das compulsões, os benefícios costumam estar associados à redução da ansiedade e não raramente se acompanham de malefícios de monta. 
🚀🚀🚀
Os que desenvolveram o hábito de roer as unhas experimentam alívio da ansiedade ao repetir compulsivamente esse ritual em situações mais nervosas. 
🚏🚏🚏
O mesmo vale para os que aliviam suas tensões com chocolates ou outros alimentos em quantidade desnecessária. Nesse segundo caso, os malefícios são maiores e óbvios: engordam e isso os deprimem, o que gera uma tensão que pede mais alimentos. 
📀📀📀
Os círculos viciosos são fáceis de serem diagnosticados e dificílimos de serem abandonados. Só mesmo graças a um claro entendimento e ao uso de todo o seu vigor intelectual que uma pessoa será capaz de superar esses hábitos arraigados e que pavimentam roteiros estáveis em nosso sistema nervoso, roteiros esses que tendem a se repetir com facilidade em qualquer momento de distração.
🔰🔰🔰
Se é dificílimo se livrar das compulsões, o que dizer dos vícios, processos em que os benefícios são intensos no curto prazo e os prejuízos só aparecerão mais adiante? 
📢📢📢
Renunciar a um prazer imediato em benefício de um futuro melhor é propriedade típica das criaturas mais amadurecidas. Elas são capazes de obstinar e parar de fumar cigarros, de usar bebidas alcoólicas caso percebam que estão se prejudicando com isso; o mesmo vale para o uso de outras drogas, dos jogos de azar, do consumismo compulsivo etc.
🔷🔷🔷
Não é nada fácil aprender a dizer “não” mesmo quando esse é o melhor procedimento em todos os sentidos: para proteger os direitos legítimos de quem nega, para impedir o oportunismo de algum interlocutor, para educar os filhos dentro de limites que se considere os mais adequados. 
🍂🍂🍂
Se recusar a dar ou a fazer algo que desagrada ou trará malefícios a quem recebe é dever das pessoas do bem; porém, muitas são as que, por pena ou culpa, têm dificuldade em agir assim mesmo quando sabem de seu equívoco. 
💧💧💧
Isso nos mostra mais uma de nossas facetas: temos divisões internas, partes que agem de acordo com determinados padrões e outras que, caso fossem majoritárias, agiriam de forma diferente. 
🌹🌹🌹
Parece mesmo que somos dotados de dois níveis diferentes de consciência, uma mais respeitadora dos valores oficiais da cultura e outra mais voltada para nossas mais íntimas e sinceras convicções. 
✨✨✨
Não é raro que uma dessas consciências também seja fortemente influenciada por emoções, como as que já citei até aqui, quais sejam, o medo, a piedade, a culpa, além desses mecanismos neurológicos que tendem a perpetuar comportamentos que nem sempre estão em concordância com o que é melhor para nosso futuro.
🐚🐚🐚
É difícil para o generoso deixar de dar tanto e aprender a receber na mesma medida; é mais difícil ainda o egoísta conseguir crescer e se tornar auto suficiente, condição necessária para que possa abandonar as posturas através das quais precisa receber mais do que dá. 
🍀🍀🍀
É difícil para um homem superar suas dificuldades sexuais, especialmente porque a preocupação com o próprio desempenho acaba por gerar uma ansiedade associada ao encontro erótico, de modo que o que poderia ser extremamente agradável pode se tornar algo tormentoso. E assim por diante.
💢💢💢
Tudo é difícil, mas possível. 
Tudo depende da força e determinação de quem efetivamente deseja se modificar. Quase sempre convém lançar mão de recursos terapêuticos disponíveis para aqueles que, menos arrogantes, aceitam receber a ajuda de quem conhece melhor os roteiros a serem percorridos no processo de se livrar das dificuldades que não são parte inevitável de nossa maneira de ser.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Como sentir alegria em nossa vida diária

como-sentir-alegria-em-nossa-vida-diariaVamos refletir um pouco sobre isso: como sentir alegria em nossa vida diária? 
Como manter o entusiasmo e o coração tranquilo?
É muito importante começar nosso dia com uma oração, com minutos de recolhimento e meditação. Dessa maneira, aquietamos e purificamos corpo e mente, acalmamos nosso coração e criamos um escudo de proteção à nossa volta.

Uma atitude de agradecimento pela vida, pelas pessoas, pelos acontecimentos, traz sentimentos de satisfação e nos liberta dos desejos insatisfeitos, do nervosismo e tristeza.

Ao se levantar, diga: Obrigado. Ao escovar seus dentes, ao tomar seu banho, ao tomar seu café, não faça disso uma rotina mecânica, faça sentindo gratidão e colocando esse sentimento para fora, para sua vida.

Ao agradecer várias e várias vezes, você estará criando uma energia poderosa e ajustando sua frequência para o dia. E assim, intencionalmente, você declara como quer que seu dia se transcorra em vez de apenas pular da cama e agir apressadamente.

Reconheça o poder da gratidão sentindo-se grato até pelas pequenas coisas, como conseguir uma vaga no estacionamento. Com essa atitude, você atrai mais bênçãos para sua vida e alimenta a alegria interior.

Você tem mais prosperidade e abundância quando começa a agradecer o que já tem agora. Quando não se sente grato, você emite emoções negativas como insatisfação, ressentimento, inveja, amargura que impedem que o bom chegue até você. 
Conte suas bênçãos. Comece a agradecer e ficará impressionado como terá mais e mais coisas para ser grato.

A felicidade é um estado mental. Com a mente repleta de gratidão e alegria podemos sentir felicidade. E esses sentimentos tornam a fisionomia agradável, o que também contribui para o êxito na vida.

Quando se sentir triste ou deprimido, olhe-se no espelho e faça a fisionomia mais alegre possível, sorrindo para a imagem refletida.

Repita, mentalmente, várias vezes, como ensinou o Mestre Masaharu Taniguchi: 
“A partir de agora, este rosto alegre será a antena que atrairá a felicidade”.

O atalho para o que deseja na sua vida é SE SENTIR e SER FELIZ agora!

Concentre-se em transmitir esses sentimentos e perceberá como isso atrairá de volta experiências boas e alegres para sua vida. Fique em paz!

Emilce Shrividya Starling

terça-feira, 4 de outubro de 2016

O Fechamento De Um Ciclo É Sempre Uma Oportunidade De Renascimento Interior


A vida é a nossa grande mestra. 
Tudo o que nos acontece está de algum modo nos favorecendo, seja para nos melhorarmos, seja pra nos despertarmos da nossa zona de conforto, ou mesmo para adquirirmos alguma habilidade ou mudarmos algum aspecto. O propósito sempre o aprimoramento”

Geralmente nos sentimos propensos ou motivados a realizar mudanças significativas em nossas vidas quando estamos insatisfeitos, quando as condições em que vivemos não correspondem mais as nossas expectativas.

Não há necessidade de datas para nos renovarmos

Há certos momentos na vida que por si mesmos são verdadeiros marcadores que sinalizam o fechamento de um ciclo, quer aceitemos ou não.

Precisamos desenvolver nossa “escuta interior” e através da nossa capacidade de compreensão, termos lucidez e sensibilidade para aceitarmos que algo já se deteriorou. A partir dessa percepção, é possível nos reposicionarmos e nos readaptarmos para darmos boas vindas ao “novo”, com suas infinitas possibilidades.

Muitas vezes, a vida não convida, mas intima a atualizações necessárias para nosso próprio progresso, enviando-nos sinais que muitas vezes recusamos admitir e que tem um propósito maior: passar para uma etapa seguinte. Não estamos atentos a estas leituras ambientais ou simplesmente as ignoramos, pois não nos interessa sair de nossa comodidade, da nossa zona de conforto, mesmo que deteriorada. Estamos ali, agarrados a qualquer custo. Precisamos nos desvencilhar do que se deteriorou, seguir adiante e confiar na generosidade da vida.

Quando a vida nos sinaliza que um ciclo está se fechando, aceite o fato e aproveite para renovar suas esperanças, oportunizando-se a gestar novos propósitos e projetos de vida. Uma readaptação nem sempre é um processo fácil, visto que dispensemos muita energia emocional na reorganização do “caos” interno. Por outro lado, esse é também um momento rico para iniciarmos o precioso movimento de auto avaliação e para revalidar o lugar que ocupamos ou que desejamos ocupar no mundo.

Quando um ciclo se fecha, é porque necessitamos realizar algum aprendizado naquele contexto, para passarmos para a etapa seguinte. Os processos transitórios da vida não são exatamente efêmeros, mas são etapas potencialmente criativas.


Vida é fluxo

É movimento, é a negação da estagnação das nossas crenças e percepções arcaicas como verdades absolutas que caíram por terra. Nada é definitivo, muito menos de nossa propriedade. Acreditamos que coisas e pessoas são nossas. Na vida não existem garantias, nem datas de validade.
Com o advento de uma nova fase, Iniciam-se novas oportunidades.
Em contato com contingências que proporcionam agora o florescer de uma nova consciência, nos será permitida uma maior lucidez dos fatos. Tudo isso nos oportunizará criar a realidade que tanto desejamos e que somos diretamente responsáveis. Este movimento criativo nos permite reflexões verdadeiras e profundas que nos levam a dar novos significados a nossa existência, se abrirmos mão do que se foi e darmos as boas vindas as novas possibilidades.

A nossa vida hoje é consequência de atitudes, ações, palavras e pensamentos do passado.

Sendo assim, façamos valer uma realidade diferente hoje através de uma postura diferente agora. Precisamos eliminar aspectos, coisas e posturas que não nos proporcionam crescimento, que nada nos adiciona e que podem até nos criar empecilhos.
Necessário é reciclar o nosso lixo emocional, transmutar sentimentos negativos e aprender a lidar melhor com nossas inquietações e limitações para entrarmos mais leves em um novo ciclo de vida.
Para que haja renovação verdadeira, de dentro para fora, é indispensável reavaliar a nossa percepção dos fatos, mas o principal de tudo para qualquer primeiro passo é nos aceitarmos como somos, momento este de “insights” para toda mudança verdadeira, pois a partir da auto aceitação, poderemos promover as mudanças que forem necessárias. Portanto, desnude-se interiormente, retire suas mascaras, se olhe de frente.


Nada estará de todo perdido 

As vezes precisamos mudar rotas e trajetórias provenientes das nossas reavaliações daquilo que já não nos serve mais. Mas nada foi perdido de todo: tornamo-nos mais vividos, mais capazes e aprimorados.

Em cada etapa da vida apostamos naquela realidade e investimos o melhor que podemos nela. Quando nos deparamos com algumas circunstâncias, vislumbramos o quanto agora tudo o que foi vivido não faz mais sentido: neste momento nos damos conta que estamos em uma nova etapa de vida. A nossa maior conquista é transmutar a própria vida em constante processo de evolução e recriação de nós mesmos, colocando em pratica os valores que precisamos alimentar, nos aprimorando em todas as perspectivas e principalmente aprendendo com os erros do passado.

Somos seres itinerantes na trajetória da vida e estamos aqui para aprender, para evoluir

Só poderemos renascer para uma nova realidade se tivermos a capacidade simbólica de nos despojarmos do passado, aceitar as mortes simbólicas dos ciclos que é a própria sabedoria da vida. Recriar-se. Renascer. reinventar-se. Superar-se.

Nós, indivíduos eternos do devir, estamos sempre em processo de reflexão acerca das nossas vivências para obter a sabedoria que precisamos e que neste mundo nunca basta. As reflexões devem ser contínuas como meio preventivo para não nos depararmos com crises que poderiam ser evitadas, quando tentamos de alguma forma nos agarrar a algo que já se foi. 
O fechamento de um ciclo nos oportuniza revisar, ressignificar e dar um novo sentido à própria vida, colocando em pratica um novo projeto de acordo com a nossa realidade e necessidades.

Permanecer em um ciclo que já se fechou é altamente desgastante, além de se pagar um alto preço por isto. Estar aberto, disponível e receptivo para novas oportunidades e experiências é o que a vida nos propõe ao fim de cada etapa.

Muitas vezes não estamos vivendo, mas vivenciando uma sobrevida, e não é isto o que queremos. Queremos ter uma vida plena e de qualidade, portanto deixar ir o que já está carcomido não é sinal de covardia, e sim de coragem. Coragem para dar um novo passo. Coragem para continuar a ter fé na vida, apesar de tudo.

Para refletir:

Que possamos olhar os problemas como desafios, a dor como meio de aprendizado, as mudanças como oportunidade de transformação, a insatisfação como eterna busca. Todo processo pode ser fácil ou difícil, penoso ou desafiador, de possibilidades e aprimoramentos. Depende de como você percebe cada acontecimento. E com o fechamento de ciclos não é diferente, pois ele nos oportuniza uma nova vida.

Bem-vindos à renovação

Soraya Rodrigues de Aragão

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

7 vezes em que Shakespeare adivinhou o que você estava sentindo


Shakespeare não é considerado um dos maiores dramaturgos e poetas de todos os tempos à toa!
Com o dom de conseguir captar a essência dos instintos e desejos humanos em palavras, o criador de “Romeo e Julieta” e “Hamlet” é um dos autores mais citados do mundo.
Shakespeare sabe o que você está sentindo! 
Quer uma prova? 
Te damos sete! 
Confira as vezes em que ele definitivamente 
“leu os seus pensamentos”!

1. Quando todos ao seu redor querem que você seja forte…



Você tem consciência de como poderia lidar com determinadas situações, mas os sentimentos envolvidos fazem com que aquela “dor no coração” seja mais forte do que a “voz da razão”.

2. A vida é muito curta para fazer aquilo de que não se gosta…O que não dá prazer não dá proveito. Em resumo, senhor, estude apenas o que lhe agradar.
William Shakespeare

Eis uma lição que muitos aprendem tarde, mas Shakespeare já adianta a resposta para a sua grande dúvida: arrisque! Escolha o caminho que te dê mais felicidade e lute por isso!

3. Saber viver e aproveitar o presente…



Pensar que os melhores momentos da sua vida já passaram ou que ainda estão por vir é um erro! 
É um mal do ser humano pensar que a “grama do vizinho é sempre mais verde”, assim como não aproveitar os bons momentos (mesmo pequenos) que vive!
Lembre com alegria do passado, faça planos para o futuro, mas não deixe de viver o seu presente!

4. Sou dono do meu futuro!



Ao longo da vida somos confrontados com alguns momentos especiais, onde são apresentados caminhos que nos levarão para diferentes destinos… 
E lembre-se: você é livre para trilhar o caminho que quiser, basta escolher e seguir em frente!

Você é o “senhor do seu destino” e o único responsável por fazer os seus sonhos se tornarem realidade, por isso saiba escolher os caminhos certos.

5. Palavra-chave para a ansiedade: paciência!



Todo mundo tem seus momentos de ansiedade, mas nem todos sabem como lidar com essa sensação angustiante. Com o tempo você acaba encontrando a resposta, e não poderia ser mais perfeita do que a descrição feita por Shakespeare!
Sejamos pacientes!

6. Quando as ações valem mais do que mil palavras…



Quem já esteve (ou está) apaixonado sabe muito bem que mais vale uma ação do que mil cartas de amor para provar os verdadeiros sentimentos, certo?
Como diz o ditado popular: “quem muito fala, nada quer”.

7. A vida é um filme!



A sua vida é um grande filme, onde você é o protagonista principal! 
Lembre de fazer a sua melhor atuação para ter não apenas um, mas vários finais felizes ao longo da sua história!
Não importa qual seja a sua idade, o seu gênero sexual ou classe social… 
As pessoas passam pelos mesmos dilemas ao longo da vida. É da natureza humana ter de enfrentar determinadas questões e, como era de se esperar, Shakespeare conseguiu compreender isso muito bem, não concordam?

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

A dor de cada um


Há momentos na vida em que só conseguimos enxergar a dor que sentimos. Pensamos que as dificuldades, a dor e o sofrimento só aparecem na nossa vida. 

 Nosso egoísmo nos faz pensar assim. 
 Se pudéssemos ver e ouvir a história de tantos outros irmãos que vivem muitas vezes tão próximos de nós, certamente que nos envergonharíamos de nós mesmos. 

Não estamos dizendo que devemos menosprezar nossas dores, mas sim que não somos os escolhidos para a dor. Cada um de nós tem as suas dificuldades, os seus obstáculos a serem superados, vencidos. 

Na Terra, todos estão em aprendizado. 
Somos ainda imperfeitos e para que nos melhoremos, infelizmente temos que passar por determinadas situações difíceis, mas não podemos desanimar tampouco perder a fé e a esperança. 

Um dia tudo passará. 
Ainda passamos pela dor porque não conseguimos extirpar todo o mal que aprendemos a alimentar dentro de nós. Infelizmente, ainda nos deixamos envolver por sentimentos ruins como mágoa, rancor, ressentimento, tristeza, medo, inveja, ciúme, raiva e tantos outros. 

 Dificilmente paramos para olhar ao redor e ver a dor do próximo, muitas vezes em proporção muito maior do que a nossa. Por tudo isso, em vez de reclamar e se lamuriar, olhe ao redor. Auxilie ao próximo, como puder, e saiba que agindo assim, estará buscando a própria cura de suas dores.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Depressão - Prevenção



Lendo e estudando sobre a depressão trazemos aqui uma súmula dos meios de prevenir essa patologia, mais mental do que física, que traz sérios prejuízos para a vida social e espiritual do ser humano.


Citamos vários itens que podem evitar a depressão: 


RELIGIOSIDADE

O estudo de uma religião esclarecida traz a conformação, o sentimento de fraternidade e perdão. Ajuda a aceitação de doenças, deficiências e morte de entes queridos. Sabendo que tudo é temporário e que nenhuma dor, carência, deficiência ou doença é eterna, torna-se mais fácil a vivência na terra.



PERDA DO ORGULHO

A criatura com orgulho acentuado possui muita abertura para a depressão. Ofende-se facilmente, isola-se das pessoas com quem não se afina e sente-se vítima do mundo sem nunca praticar a auto análise necessária para um maior entendimento das situações. A humildade não nos dá brechas para ofensas ou mágoas inúteis.



PERDA DO EGOCENTRISMO

Pessoas muito centradas em si mesma, sofrem demasiadamente quando não recebe atenção que acha que merece. Criança ou jovem muito mimados não conseguem aceitar a indiferença do mundo aos seus desejos. Esta é uma das grande causadora dos estados depressivos. Quando direcionamos nossas atenções aos outros sentimo-nos felizes ao sermos úteis e esquecemos das próprias dores.



TRABALHO

A mente ocupada num trabalho que traz prazer e recompensa (mais emocional do que financeira) não dá abertura para se deprimir.



OTIMISMO

Um dos melhores fatores antidepressivo é o otimismo, porque a criatura observa o mundo que a rodeia de forma sempre positiva o que impede que nasçam, em si, focos de baixo estima, que gera a depressão.



PERDÃO

O ato de perdoar não é apenas uma recomendação religiosa, é mais uma atitude terapêutica e preventiva contra males maiores do que o mal recebido. O esquecimento do mal é atividade de um coração generoso. Perdoar a si mesmo é entender que errar faz parte do crescimento, é aceitar a sua condição humana.



ACEITAÇÃO

Aceitar o que é inevitável na vida, como a morte de um ser querido, perda da juventude; deficiência física ou invalidez. Também mudança de nível social, de ambiente etc. A aceitação é também compreensão que tudo que acontece ao nosso redor é instrumento para amadurecimento espiritual.


Quem possui muita fé em si mesmo e em Deus possui a maior vacina contra a depressão pois ela é o oposto de todos os sintomas que trazem a doença.

Enfim, todo sofrimento do homem tem origem no afastamento de sua luz interior. Quando Deus fica longe de nossa vida, ficamos afastados da alegria de viver.

Portanto, busque o auxilio divino, 
e não se esqueça do terapeuta...
Busque a felicidade
Você merece!

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Entenda o que te sufoca todos os dias e você não percebe


Quando nos vemos em situações de dor é muito comum colocarmos a culpa em outras pessoas. 
Mas o que nem todo mundo sabe ou finge não saber é que podemos ser os próprios causadores de nossas dores através de um processo chamado auto obsessão.

A auto obsessão ocorre quando nós mesmos causamos nossos sofrimentos. E, mesmo que muitas pessoas atribuam suas dores a outros inclusive obsessores espirituais nem sempre é isso que acontece de fato. Entenda o que te sufoca e você não percebe

Sendo assim, separamos hoje alguns sinais de que você está se auto obsediando, ou seja, causando as situações que culminam em sofrimentos diversos .

Espero que, conhecendo-os, consiga identificá-los (se for seu caso) e refletir em como sair desse cárcere e se livrar desses comportamentos que nos encarceram a alma, tornando-nos verdadeiros prisioneiros espirituais.

1. Não perdoar o passado

A falta de perdão é uma das maiores prisões que impedem nosso crescimento espiritual. Nossas memórias armazenam tudo. Quando você menos espera se depara com uma etapa em que um espinho do passado de dor, abuso, depreciação e problemas de auto-estima passam a oprimi-lo. E você não o deixar ir. Continua revivendo os atos horríveis de dor em cada parte do seu ser.

O perdão não é para a outra pessoa. É para você se mover além das barras de confinamento solitário. Abra o portão de sua cela de prisão, perdoando sua parte nessa história e deixando de lado tudo o que a outra pessoa fez para você.

2. Não ser você mesmo

Pode não parecer, mas abrir mão de si mesmo, dos próprios sonhos, valores e vontades é acorrentar-se e ir para o corredor da morte. E trata-se de uma morte lenta, que aos poucos e durante anos vai tirando o sopro de vida das pessoas.

Infelizmente há muita gente sofrendo desse mal, com medo de viver a vida como deseja, acorrentados em padrões, modelos muitas vezes ultrapassados.

3. Não acreditar em coisa alguma

Todos somos livres para crer ou deixar de crer em Deus, nas pessoas e nas coisas. É um direito que nos é dado inclusive pelo próprio Deus. Mas, a falta de fé em algo traz um vazio inexplicável, inclusive para o incrédulo. Todos precisamo acreditar em alguma coisa. Em si, nos outros ou seja lá no que for.

Essa fé nos torna mais fortes, 
como disse Bruna Stamato no artigo: 
“A Fé é um salto no escuro. Pule
Fé em qualquer coisa, em qualquer crença; 
Fé na vida. Fé em si mesmo! Pois a FÉ é o nosso para-quedas! Sem ela, tudo se torna muito mais difícil e penoso. Se você tiver FÉ numa imagem de algum santo, com certeza não será o papel que modificará a sua vida, será a energia depositada nele, que fará com que a fenomenal roda gigante da vida gire.” 
O importante é se alimentar dessa força que nos torna livre, capazes, poderosos.

4. Estar em relações doentias

Maior prisão que estar em relações destrutivas não há. E não se trata apenas de uma prisão espiritual, mas emocional também. Isso acontece principalmente nos relacionamentos amorosos quando um dos parceiros se vê totalmente submisso, sem identidade e dignidade.

5. Vícios de todos os tipos

O álcool, o cigarro, a pornografia, o jogo e tantos outros vícios são correntes que imobilizam diversas pessoas há muito tempo. Quem se detém nessas prisões perde o gosto pela vida, não se reconhecem como donos de si e vivem em função de satisfazer o “prazer” ilusório que esses vícios causam. São situações lamentáveis que roubam a vitalidade, deixando homens e mulheres amargurados, sem esperança, em verdadeiras prisões.

Como foi citado no texto, nenhum obsessor espiritual é o causador dessas dores e sim nós mesmos que muitas vezes nos permitimos passar por elas. 
São comportamentos mais que comuns, embora doentios. E para se libertar é necessário primeiro reconhecer-se em uma para então, conscientes, 
tomar as atitudes necessárias para libertar-se 
do que te sufoca.

Lidiane Franqui